Post thumbnail

Final do CBLOL 2021 – Primeiro Split

POSTADO POR Marina 24/04/2021

Acabou no último domingo, 18 de abril, a primeira season do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL 2021). Depois de uma fase de pontos com arrancadas surpreendentes e quedas de times tradicionais, chegamos ao final da competição com o confronto entre tradição e novidade: paiN Gaming versus Vorax.

A jornada dos finalistas do CBLOL

Diferente do que vimos na final do split passado, 2º semestre de 2020, essa final foi realizada completamente remota. Sem encontros presenciais, grandes shows ou topos de prédios, o encerramento foi emocionante dentro de jogo, mas passou longe das grandes finais que estamos acostumadas a ver.

A final aconteceu no padrão de Md5, formato em que as duas equipes disputam no máximo 5 jogos, sendo que o primeiro time a conquistar 3 vitórias vence a série.

Histórico das equipes:

Jogadores escalados para a final do CBLOL 2021

Jogadores escalados para jogar a grande final do CBLOL – Fonte: Divulgação/Riot

paiN Gaming

Em 2020, o time foi segundo colocado no CBLOL, perdendo na final para a INTZ. As disputas entre duas das equipes mais tradicionais do League of Legends terminou com um placar de 3×1 para os intrépidos.

A final desse segundo split no ano passado não foi fácil para os jogadores da paiN. Se perder o título já era motivo de grande frustração, a forma como tudo aconteceu foi ainda mais devastadora.

A INTZ havia aberto o placar de 2×0, quando no 3º jogo seus adversários conseguiram o respiro que precisavam. Depois de dois jogos dominados pelos intrépidos, dessa vez a partida foi dominada pela paiN, que encerrou o jogo com 10 abates e 9 destruições de objetivo a mais. O sonho ainda estava vivo, por muito pouco.

O que se seguiu no 4º confronto foi inexplicável para quem havia acabado de assistir a paiN se reerguer do 2×0. Nesse jogo, que encerraria a série, os intrépidos ‘passaram o carreto’, como bem dizem os casters, e deixaram os adversários impotentes frente uma derrota inevitável.

As lágrimas dos jogadores da paiN foram, também, inevitáveis. Com desempenho muito abaixo de suas próprias capacidades, chegar à final do CBLOL com aquela última e inesquecível partida, deixou um gosto amargo para toda a equipe. Dispensável comentar os inúmeros memes e piadas feitos com a derrota, em especial com os picks de Lucian, que talvez nunca mais seja visto com os mesmos olhos pelos ‘painzetes’.

Finalmente falando de 2021, a paiN começou o campeonato de uma forma meio estranha, talvez ainda ressaqueada daquela final esmagadora. O time sofreu apenas uma alteração no elenco entre os splits, substituindo o suporte esA por Luci, enquanto Robo, Cariok, Tinowns e brTT permaneceram com a camisa.

A mudança de uma única peça a princípio parecia ter tornado a equipe assíncrona, com chamadas estranhas de jogadores sozinhos sem acompanhamento de seus parceiros. Muito se especulou sobre a dificuldade de comunicação entre eles, já que o novo suporte não fala português, mas os players sempre afirmaram que o problema não estava na comunicação, e sim na postura.

Independente de qual era a adversidade, o time conseguiu se encontrar no campeonato e começou a mostrar um jogo extremamente sólido e constante.

Conhecida por cobrar cada erro do adversário, a paiN não perdoou nada e encerrou a fase de pontos com 11 vitórias acumuladas. Entre as rodadas 11 e 18 perdeu um único jogo, justamente para sua adversária final, a Vorax.

Vorax

Em 2020 encerrou-se o CBLOL como conhecíamos, que funcionava da seguinte forma:

  • Último colocado do Campeonato Brasileiro de League of Legens era ‘rebaixado’ para o Circuito Desafiante;
  • Vencedor do CBLOL ganha oportunidade de jogar as disputas internacional, sendo MSI para o primeiro semestre e o Mundial no segundo semestre;
  • Já no Circuitão, como foi apelidado pela torcida, o vencedor ganhava o direito a uma vaga no Campeonato oficial, tomando lugar da equipe rebaixada.

No ano passado a Riot começou a implementar no Brasil o sistema de franquias, já utilizado nas ligas fora daqui. Essa nova dinâmica permite que os times ganhem segurança a longo prazo para investir na modalidade, sem precisar ter medo de perder seu lugar em poucos meses. Tem um texto aqui no You Go Girls explicando cada detalhe desse novo sistema.

Onde a Vorax entra nisso? Com a implementação dessa dinâmica, as organizações precisaram provar para a Publisher do jogo que tinham competência, estrutura e capital para fazer a competição crescer. Cada equipe precisou preparar estratégias, prestar contas, passar por entrevistas, tudo para garantir seu lugar no CBLOL.

Foi então que as antigas Prodigy e Falkol viram a oportunidade de realizar uma fusão das duas marcas para criarem uma estrutura mais sólida e mais interessante para fomentar o cenário. A união dos dois times resultou na Vorax.

Até 2020 a Falkol jogava o Circuitão, com um desempenho não muito animador, apesar de ter bons jogadores no elenco. Por outro lado, a PRG mostrava uma perfomance louvável no Campeonato Brasileiro de League of Legends, contando com o top laner vencedor do Prêmio CBLOL de 2020, fnB.

A união das duas resultou em uma equipe que misturou um pouco de cada uma:

  • Top: fnB (PRG)
  • Jungle: Yampi (PRG);
  • Mid: Krastyel (Falkol);
  • ADC: Mastukase (Falkol);
  • Suporte: Wos (PRG).

No início do CBLOL a composição parecia não se encaixar, os jogadores vieram não só se organizações mas também de competições diferentes. Com o passar das semanas a Vorax começou a dominar o campeonato até conquistar a segunda colocação na fase de pontos.

O crescimento surpreendente do time fez com que empatassem a pontuação com o favorito, Flamengo, de forma que ambos passaram direto para as semi-finais, sem precisar passar pela etapa de quartas. No entanto, contra todas as expectativas e mesmo com a vantagem nos playoffs, a nação rubro-negra não chegou às finais, dando lugar à adversária final da Vorax, a paiN.

Confronto final do CBLOL

Agora com todo o contexto em mente, é fácil entender porque o título de vencedor do primeiro split do CBLOL era tão importante e disputado pelas duas equipes.

A paiN vinha de uma derrota amarga no split anterior contra um de seus mais tradicionais rivais (que, dessa vez nem chegaram aos playoffs). E, também, um histórico de críticas nas redes sociais e especulações sobre os problemas internos da equipe.

Já a Vorax chega à final depois um período marcado por fusão, mudanças, desempenhos com altos e baixos e até denúncia de abuso. o querendo provar que não eram capazes de jogar o melhor de League of Legends.

Jogo 1

Confira o draft:

Picks e bans jogo 1 da final do CBLOL 2021.

Fonte: Divulgação/Riot.

paiN – Red Side

Bans, em ordem:

  • Senna, Orianna, Seraphine, Miss Fortune e Renekton

Picks:

  • Top – Karma;
  • Jungle – Udyr;
  • Mid – Syndra;
  • ADC – Jinx;
  • Suporte – Thresh.

Vorax – Blue Side

Bans, em ordem:

  • Tristana, Sylas, Lillia, Irelia e Galio.

Picks:

  • Top – Gnar;
  • Jungle – Hecarim;
  • Mid – Viktor;
  • ADC – Aphelios;
  • Suporte – Rell.

A Vorax foi proativa e inteligente durante toda a partida. Começou o jogo com movimentações agressivas desde o nível 1, tirando feitiços de invocador tanto do mid laner quanto do suporte da paiN, antes mesmo de 1:30 de jogo.

Os jogadores da paiN até conseguiram correr atrás do prejuízo, mas depois de um mid e late game completamente dominados pelos adversários, a Vorax abriu o placar da Md5 com 29 minutos de jogo e quase 10k de diferença de gold.

MVP: Yampi, com um AMA* incrível de 16!

*Métrica feita com a quantidade de abates, somada às assistências, divida pelo número de mortes na partida. Versão em português de KDA. 

Jogo 2

Confira o draft:

Picks e bans jogo 2 da final do CBLOL 2021.

Fonte: Divulgação/Riot

paiN – Blue Side

Bans, em ordem:

  • Senna, Orianna, Viktor, Varus e Miss Fortune

Picks:

  • Top – Gnar;
  • Jungle – Hecarim;
  • Mid – Vel’Koz;
  • ADC – Jinx;
  • Suporte – Tahm Kench.

Vorax – Red Side

Bans, em ordem:

  • Udyr, Zoe, Lucian, Seraphine e Galio.

Picks:

  • Top – Jayce;
  • Jungle – Volibear;
  • Mid – Azir;
  • ADC – Aphelios;
  • Suporte – Thresh.

A Vorax começou a partida com uma tática similar a do game anterior, logo no início 4  jogadores encularram o top laner da paiN e conseguiram o first blood com exato 1 minuto de partida.

E, como série de final de campeonato é sempre cheia de emoções, logo a Vorax devolveu a vantagem para a paiN após um dive errado na mesma lane, que rendeu double kill para o Hecarim para o Cariok.

Os primeiros 14 minutos de jogo foram até bem equlibrados entre as duas equipes, a chave começou a virar para a equipe da paiN quando seu top laner conseguiu levar quase duas torres solo no top e roubou até o red na cara do jungler inimigo.

De pouco em pouco, chegaram a abrir mais de 16k de ouro de diferença e empataram a série.

MVP: Robo, com uma diferença 2.351 de gold com seu adversário direto, fNb, aos 20 minutos.

Jogo 3

Confira o draft:

Picks e bands do jogo 3 da grande final do CBLOL 2021.

Fonte: Divulgação/Riot

paiN – Red Side

Bans, em ordem:

  • Senna, Hecarim, Udyr, Thresh e Miss Fortune

Picks:

  • Top – Irelia;
  • Jungle – Olaf;
  • Mid – Seraphine;
  • ADC – Jinx;
  • Suporte – Alistar.

Vorax – Blue Side

Bans, em ordem:

  • Tristana, Sylas, Lillia, Zoe e Galio.

Picks:

  • Top – Gnar;
  • Jungle – Volibear;
  • Mid – Orianna;
  • ADC – Kai’Sa;
  • Suporte – Rell.

Dessa vez os jogadores da Vorax optaram por começar com menos agressividade no early game, somente aos 8 minutos de partida aconteceu o primeiro (duplo) abate para o top laner, fNb. Depois dessa movimentação o jogo continuou bem equilibrado entre as duas equipes.

Aos 17 minutos foi quando a equipe dos vorazes viu a partida começar a sair de controle após um jogada perigosa em que, para conquistar um dragão das nuvens, acabaram dando um triple kill para a Jinx de brTT.

Depois, em 21 minutos de partida, a Vorax fez mais uma call arriscada para realizar o barão, ou talvez apenas criar uma armadilha para os inimigos. Independente do objetivo, por fim entregaram não só mais dois abates para o carry da paiN, como também um para o mid laner e, por fim, até o buff de baron ficou para o time adversário.

Quase no final de jogo, a paiN até teve seus deslizes, entregando um pouco de vantagem para o adversário. Mas com um AD Carry tão forte e alma do dragão das nuvens, se tornou muito difícil a Vorax retomar a partida.

Assim, a paiN vira a série no terceiro jogo e conquista seu segundo ponto, faltando apenas mais um jogo vencido para conquistar de vez a taça do CBLOL 2021.

MVP: brTT e sua a Jinx afiadíssima, com mais de 92% de participação em abates.

Jogo 4

Confira o draft:

Draft do último jogo da final do CBLOL 2021

Fonte: Divulgação/Riot

paiN – Red Side

Bans, em ordem:

  • Senna, Hecarim, Udyr, Thresh e Miss Fortune

Picks:

  • Top – Gnar;
  • Jungle – Gragas;
  • Mid – Zoe;
  • ADC – Kai’Sa;
  • Suporte – Leona.

Vorax – Blue Side

Bans, em ordem:

  • Tristana, Jinx, Lillia, Nidalee e Lee Sin.

Picks:

  • Top – Sylas;
  • Jungle – Gragas;
  • Mid – Viktor;
  • ADC – Varus;
  • Suporte – Nautilus.

Quando, aos 5 minutos de jogo, o mid laner da paiN pegou o first blood, a Vorax jamais imaginaria o snowball que a famosa Zoe nas mãos do Tinowns faria no restante da partida. O game seguiu intenso, com a paiN sempre à frente em torres e objetivos do mapa.

Por fim, se tornou praticamente impossível para a Vorax reagir frente uma Zoe, um Gnar e um Gragas muito grandes no jogo. No último confronto os jogadores da paiN souberam aproveitar cada vantagem conquistada para cravaram o 3×1 e, também, sua vitória do CBLOL 2021.

MVP: Tinowns, com 8 abates, 4 assistências e nenhuma morte.

paiN leva o título do CBLOL 2021

Equipe da paiN é vencedora pela terceira vez do CBLOL

Equipe da paiN é vencedora pela terceira vez do CBLOL – Fonte: Divulgação/Riot

Como comentamos, a competição foi feita totalmente remota, mas pelas câmeras dos jogadores que foram mostradas em alguns momentos da transmissão foi possível ver um pouquinho da comemoração da paiN. Principalmente a alegria de Cariok e Tinowns.

Os dois jogadores moram juntos e, quando assim que acabou a última partida, conseguimos ver o jungler emocionado, limpando as lágrimas, enquanto o amigo aparecia correndo na porta para abraçá-lo. Cariok ainda não tinha conquistado o título de campeão brasileiro, então o momento para ele foi especialmente importante.

Após o jogo, a Rafa Tomasi, jornalista oficial do CBLOL, entrevistou o jungler da paiN, que ficou até um pouco tímido quando soube que o público estava vendo seu momento de emoção. E, quando perguntado sobre como estava se sentindo naquele momento, a resposta veio carregada de sinceridade:

“Foi muito importante pra mim por causa do último split, eu acabei sentindo muito por ter perdido… É uma sensação incrível”

O título é o terceiro da organização e o sexto de brTT, que já está no League of Legends competitivo desde 2012. Como de costume, o ADC da paiN já fez a tradicional marca no rosto para comemorar a vitória.

 

Próximo passo: MSI

Com a conquista do CBLOL, agora a paiN arruma as malas para o Mid-Season Invitational, torneio internacional que acontece sempre entre splits. A primeira etapa da competição é por grupos, e o time brasileiro está no Grupo B.

Ao lado da paiN nessa chave estão:

  • MAD Lions – vencedora da LEC;
  • PSG Talon – vencedora da PCS;
  • Instanbul Wildcats – vencedora da TCL.
Fase de grupos do MSI 2021.

Divisão da fase de grupos do MSI 2021 – Fonte: Divulgação/Riot.

Esse ano o MSI será em Reykjavík, capital da Islândia. Então, para a sorte dos brasileiros, serão apenas 3 horas de diferença de fuso horário, dessa vez não vamos precisar madrugar para assistir os jogos!

O torneio começa dia 6 de maio e se encerra dia 23. O calendário completo e horários de partidas ainda serão divulgados pela Riot.

 

Notas finais – além do game

Final do CBLOL 2021: Um marco para a negritude nos esports

Além de ser um momento marcante para a carreira do jungler da paiN, a disputa dessa final foi importante por ter a presença de dois homens negros jogando, Cariok e fNb.

Ambos são homens pretos lutando para conquistar espaço em um ambiente majoritariamente branco. O jornalista Luiz Gustavo Queiroga fez uma matéria muito importante e necessária. No artigo, Queiroga traz a discussão e a reflexão sobre por quem são ocupados os espaços no cenário competitivo hoje, em contrapartida ao fato de que a própria realidade gamer brasileira é completamente diferente desse recorte.

Recomendamos muito a leitura, é só clicar aqui!

Pré-split: Período marcado por denúncias de abusos

Ainda que o propósito desse texto seja falar de competição e das trajetórias dos times até aqui, também é de extrema importância que outros aspectos que ocorreram ao longo desse períodos sejam lembrados. Afinal, nem só de vitórias vive o cenário competitivo.

Dessa forma, é necessário lembrar que, durante os meses entre os dois splits, houve uma onda de denúncias feitas nas redes sociais por mulheres que sofreram abusos sexuais profissionais de esports. Entre os acusados estavam dois dos jogadores da final: o mid laner da paiN, Tinowns; e o suporte da Vorax, Wos.

No caso de Tinowns, após o relato de uma ex-namorada, o player fez uma live para dar sua versão dos fatos. Por mais que o jogador tenha pedido aos fãs que não fizessem nenhum tipo donate, muitas pessoas o fizeram, de forma que a transmissão, já bastante criticada pela comunidade, ficou ainda mais conflitante.

Como forma de retratação pela atitude dos que doaram, Tinowns doou o dinheiro recebido nos minutos que ficou online para a Associação Fala Mulher. O tweet do jogador com as informações sobre o repasse você pode conferir aqui. A paiN não se posicionou publicamente sobre o caso.

Já sobre o suporte da Vorax, o jogador Wos postou nas suas redes sociais sua perspectiva do ocorrido, depois de ser acusado também por uma ex-namorada. Após uma investigação interna da organização, que não foi divulgada de forma detalhada ao público, foi decidido que o jogador permaneceria na equipe. Você pode entender mais sobre o caso aqui.

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *